LDO 2015 aumenta exigência de divulgação de informações pelas entidades do Sistema S!

Sistema "S"

Desde a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) aplicável ao exercício de 2009 (Art. 6º, § 3º, da Lei nº 11.768/2008.) há previsão para que as entidades do Sistema S divulguem, pela internet, informações acerca dos valores recebidos à conta das contribuições, bem como a destinação dos referidos recursos.

A LDO de 2014 (art. 113 e §§ 1º e 2º, da Lei nº 12.919/2013) previa para as entidades do Sistema S a obrigatoriedade de publicação na internet: 1) dos valores arrecadados e a especificação de cada receita e cada despesa; 2) do orçamento anual da entidade; 3) e da estrutura remuneratória de cargos e funções e identificação de dirigentes e dos membros do corpo técnico.

Já LDO de 2015 (art. 130, da Lei nº 13.080/2015) acrescentou a obrigatoriedade de:

a)      especificar, dentre as contribuições arrecadadas pelas entidades, aquelas que foram transferidas pela União e as obtidas diretamente pelas paraestatais;

Você também pode gostar

b)      divulgar as demonstrações contábeis consolidadas de cada entidade;

c)      divulgar, além da distribuição das despesas por região geográfica, as parcelas destinadas aos serviços sociais e à formação profissional.

Vejamos o texto legal:

“Art. 130.  As entidades constituídas sob a forma de serviço social autônomo, destinatárias de contribuições dos empregadores, incidentes sobre a folha de salários deverão divulgar, trimestralmente, na respectiva página na internet, em local de fácil visualização:

I – os valores arrecadados com as referidas contribuições, especificando o montante transferido pela União e o arrecadado diretamente pelas entidades;

II – as demonstrações contábeis consolidadas da cada entidade;

III – a distribuição da despesa por região geográfica, destacando a parcela destinada a serviços sociais e à formação profissional; e

IV – a estrutura remuneratória dos cargos e funções e a relação dos nomes de seus dirigentes e dos demais membros do corpo técnico.

Parágrafo único.  As entidades previstas no caput divulgarão também seus orçamentos de 2015 na internet.” (Grifamos.)

Acrescente-se que, além da previsão legal, o TCU entende pela obrigatoriedade de divulgação dos valores recebidos à conta das contribuições e a respectiva destinação (Acórdão nº 3.214/2013, Rel. Min. José Múcio Monteiro, j. em 27.11.2013.).

Por fim, sobre a evolução legislativa da LDO para as entidades do Sistema S vide:

http://www.zenite.blog.br/sistema-s-a-obrigatoriedade-de-divulgacao-dos-valores-arrecadadosdestinacao-e-orcamento-anual/#.VLVe83v2S1w

Continua depois da publicidade
Seja o primeiro a comentar
Utilize sua conta no Facebook ou Google para comentar Google

Assine nossa newsletter e junte-se aos nossos mais de 100 mil leitores

Clique aqui para assinar gratuitamente

Ao informar seus dados, você concorda com nossa política de privacidade

Você também pode gostar

Continua depois da publicidade

Doutrina

A LINDB esvaziada

Não é novidade que o aparato de controle e de repressão da Administração Pública nunca se animou com as alterações promovidas na LINDB pela Lei n. 13.655/2018. Tanto é verdade...

Colunas & Autores

Conheça todos os autores