TCU: a importância da capacitação dos servidores designados como fiscais e gestores de contratos de TI!

TI - Tecnologia da Informação

Trata-se de Relatório de Auditoria de Conformidade correspondente a uma das seis auditorias de fiscalização sobre contratações de Tecnologia da Informação (TI), realizadas na sistemática de Fiscalização de Orientação Centralizada (FOC). O principal objetivo da ação “consistiu em avaliar a maturidade do processo de trabalho de gestão de contratos de Tecnologia da Informação, por meio da verificação amostral da conformidade da execução”.

Conforme consigna o relator, a unidade técnica concluiu haver falhas relevantes no processo de trabalho de planejamento e gerenciamento de contratos de TI, quais sejam: “a) o recebimento dos serviços prestados no âmbito das contratações analisadas não vem sendo realizado de acordo com a legislação, em razão da ausência de rastreabilidade dos serviços pagos e das falhas identificadas na avaliação da qualidade desses serviços (…); b) os gestores e fiscais dos contratos não possuem a capacitação técnica adequada para cumprir suas atribuições, além de estarem sobrecarregados e não serem adequadamente designados conforme prega a legislação; c) o planejamento das contratações analisadas não foi feito de forma a criar subsídios para a adequada e efetiva gestão contratual, principalmente porque o omissis ainda não regulamentou o processo de trabalho para planejamento e gestão dos contratos de TI, bem como em razão das diversas falhas relacionadas a instrumentos necessários ao adequado planejamento e gestão contratuais, como a falta de memória de cálculo do volume de serviços a serem contratados e a falta de clareza e detalhamento na estipulação das sanções contratuais; d) a monitoração das contratações analisadas não é feita de maneira satisfatória, em razão da não utilização de Histórico de Gerenciamento do Contrato pelo órgão auditado, das falhas na gestão dos riscos conhecidos das contratações e da falta de controle da manutenção dos requisitos técnicos exigidos na contratação”.

O relator, ao analisar o caso, decidiu recomendar ao órgão que avalie a conveniência e a oportunidade de adotar os seguintes procedimentos, com vistas a evitar as irregularidades constatadas: “9.1.1. aperfeiçoar o processo de capacitação dos servidores designados como fiscais e gestores de contratos de TI, em atenção ao disposto no Decreto 5.707/2006, art. 1º, incisos I e III, nos Acórdãos 594/2012 – TCU – Plenário, item 9.3.1, e 1200/2014 – TCU – Plenário, item 9.1.4, e no Cobit 5, APO07.03 – manter as habilidades e competências da equipe –, com vistas a assegurar que detenham a qualificação técnica necessária para o exercício de suas atividades9.1.2. aperfeiçoar o procedimento de designação de fiscais e gestores de contratos de TI, em atenção ao disposto na Lei 8.666/1993, art. 58, inciso III c/c art. 67, caput, e no Acórdão 2831/2011 – Plenário, item 9.1.3, com vistas a equilibrar o quantitativo de contratos de TI sob responsabilidade de cada fiscal e gestor; 9.1.3. regulamentar internamente os processos de trabalho de planejamento e de gestão das contratações de TIfixando, no mínimo, as regras de definição das unidades responsáveis pelas indicações a que se referem os incisos IV a VIII do art. 2º da IN – SLTI/MP 4/2014, com vistas a promover a eficiência e a eficácia da atividade de acompanhamento e fiscalização dos contratos de TI; 9.1.4. aperfeiçoar a gestão dos riscos nas contratações de TI, em atenção ao disposto no art. 13 da IN – SLTI/MP 4/2014 e na norma NBR ISO 31.000, item 5.5 – Tratamento de riscos –, com vistas a promover a eficácia das contratações de TI”.

O Plenário do Tribunal acolheu, integralmente, a proposta de encaminhamento do relator e determinou que o órgão fosse cientificado das irregularidades constadas, a fim de evitar que voltem a ocorrer, e expediu as recomendações acima transcritas. (Grifamos.) (TCU, Acórdão nº 803/2016 – Plenário)

Nota: Esse material foi originalmente publicado na Revista Zênite – Informativo de Licitações e Contratos (ILC). A Revista Zênite e o Zênite Fácil trazem mensalmente nas seções Jurisprudência e Tribunais de Contas a síntese de decisões relevantes referentes à contratação pública. Acesse www.zenite.com.br e conheça essas e outras Soluções Zênite.

Continua depois da publicidade
Seja o primeiro a comentar
Utilize sua conta no Facebook ou Google para comentar Google

Assine nossa newsletter e junte-se aos nossos mais de 100 mil leitores

Clique aqui para assinar gratuitamente

Ao informar seus dados, você concorda com nossa política de privacidade

Você também pode gostar

Continua depois da publicidade

Doutrina

A LINDB esvaziada

Não é novidade que o aparato de controle e de repressão da Administração Pública nunca se animou com as alterações promovidas na LINDB pela Lei n. 13.655/2018. Tanto é verdade...

Colunas & Autores

Conheça todos os autores