NOVA LEI DE LICITAÇÕES: quais são as novidades em relação à dispensa por emergência?

Nova Lei de Licitações

O Projeto de Lei nº 4.253/2020 mantém a possibilidade de dispensar a licitação nos casos de emergência ou de calamidade pública, quando a situação possa ocasionar prejuízo ou comprometer a continuidade dos serviços públicos ou a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros bens, públicos ou particulares.

Como na Lei nº 8.666/1993, só é admitida a aquisição dos bens necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa.

Uma diferença é que se passará a admitir a contratação das parcelas que possam ser concluídas no prazo máximo de 1 (um) ano, contado da data de ocorrência da emergência ou da calamidade, quando na Lei nº 8.666/1993 esse prazo era de até 180 dias.

O Projeto de Lei, além de vedar a prorrogação dos contratos firmados por esse tipo de dispensa e veda também a recontratação da empresa que atendeu aquela situação de emergência.

Outra novidade envolve definição de situação emergencial. De acordo com o § 6º do art. 74, “considera-se emergencial a contratação por dispensa com objetivo de manter a continuidade do serviço público”.

A versão completa deste material está disponível no ZÊNITE FÁCIL. Solicite acesso cortesia e conheça: comercial@zenite.com.br ou pelo telefone: (41) 2109-8660.

Continua depois da publicidade
Seja o primeiro a comentar
Utilize sua conta no Facebook ou Google para comentar Google

Assine nossa newsletter e junte-se aos nossos mais de 100 mil leitores

Clique aqui para assinar gratuitamente

Ao informar seus dados, você concorda com nossa política de privacidade

Você também pode gostar

Continua depois da publicidade

Estatais

Estatais & mecanismos para a inovação

Inteligência artificial, blockchain, internet of things, computação quântica, supercondutores e energia limpa e renovável são exemplos de temas vinculados à inovação que entusiasmam gestores públicos e privados. A celebração de...

Colunas & Autores

Conheça todos os autores